Um terceiro caminho

Diante dos últimos acontecimentos, a esquerda brasileira tem muito o que aprender com seus erros e a grave crise institucional que vivemos no Brasil. A direita não consegue nem mais disfarçar sua intolerância e ódio. Estamos perdendo uma enorme oportunidade de construir um país mais efetivamente autônomo, igualitário e justo. Chega de tantos conchavos inadmissíveis com figuras maquiavélicas como Renan, Cunha, Temer, Katia Abreu, Collor e muitos outros! Já diz o ditado popular “quem anda com porco, farelos come”. Ainda há tempo para reconstrução? Eu acredito que sim, mas tem que haver uma ruptura com esse modelo sujo. Na eminência de um golpe político-jurídico-midiático, nossa força e manifestação nas ruas e nas redes sociais é de vital importância na luta pelos direitos democráticos conquistados. Ditadura nunca mais!
Mas, o resultado dessa triste polarização, muitas vezes rasa, tem sido um país violentamente dividido e corrupto, longe dos ideais de uma sociedade mais igualitária, mais solidária, mais humana, mais tolerante, mais pacífica, mais justa, mais democrática. E isso pra mim não é obra de um só partido, mas de toda uma conjuntura social gananciosa. É obra da esquerda e da direita. Precisamos, sim, de uma reforma política imediata no Congresso Nacional, precisamos rever o papel da imprensa e televisão na utilização de sua concessão pública, precisamos rever o impacto do agronegócio em nossas vidas, em nossa saúde, precisamos rever o genocídio cotidiano de nossos índios, a destruição de nossas matas e florestas, precisamos melhorar nosso sistema educacional e, por consequência, a consciência de nosso povo, precisamos de uma justiça menos parcial, menos partidária, mais isenta, precisamos de mais cultura pra cuspir na estrutura.
Que surja um terceiro caminho, enquanto é tempo!
#naovaitergolpe
#todospelademocracia