Menina Diamantina

de “Terra Que Berra” (2000), Letra:Jonga Lima, Música: Kal Venturi

Música do céu
Elevando os sentidos coloridos
Sons da natureza
Suavidade rara

Macaco beleza
Vermelho framboesa
Azul da cor do mar

Flor de maracujá
Menina diamantina
Eu quero a luz do teu sorriso
No mergulhar da cachoeira

Menina
Quero te namorar
Quero te contemplar
Quero te caminhar
Quero te trilhar….

Anúncios

Viração

de “Viração” (1999), Letra e Música: Jonga Lima

Passarinho
Passa o tempo voando
Passatempo de vida
Passear pelos bosques
Paquerar toda flor

Passará
Passa o tempo cantando
Passo a passo da vida
Passear pelo mundo
Conquistar o amor

Passarão
E ao ouvir a canção
Ponto de Mutação

Vão criar novas atitudes
Vira, vira, viração
Procriar belas criaturas
Cria, cria, criação
Recriar tribos e culturas
Cor a cor a coração

Terra, terra, integração.

Cada um Na Sua

de “Amor de Vênus” (1993), Letra e Música: Jonga Lima

Não quero casar com você, amor
O dia-a-dia tedioso pode nos matar
Não quero morar com você, amor
É justo a fome e a saudade o que nos alimenta

Você mora aí, eu moro aqui

E quando a gente ficar junto vai ser demais
E quando não rolar encontro
Nada de confronto
Cada um na sua
E o amor continua

E eu te juro
Pelo cristal mais puro
Que tu és o fogo
Que incendeia o meu corpo de prazer

Te juro
Pelo cristal mais puro
Que vou ser sincero
Ao sentir que o nosso elo
Se transformou.

Farinha Pouca, Meu Pirão Primeiro

de “Batuquê du Zambô” (2011), Letra: Jonga Lima, Música: Sebastian Paz

A cada dia que passa
A cada trago de fumaça
O velho corpo se cansa de tanto lutar

Suado trabalho
Escravo dinheiro
De janeiro a janeiro só sei o que é ralar

Rala o coco, rala a bundinha
O nariz num prato de farinha
Farinha pouca, meu pirão primeiro
Onde vai dar esse desespero?

Numa atômica explosão?
Numa guerra sem perdão?
Num Caribe sem verão?
Num samba sem canção?
No amor sem tesão?
Numa espécie em extinção.